top of page
  • Foto do escritorICMBio Noronha

Vida inicial dos tubarões-limão é foco de pesquisa desenvolvida em praias de Noronha

Pesquisa é objeto do pós-doutorado da bióloga Bianca Rangel, que estuda os tubarões e Raias de Noronha há mais de 4 anos


Fotos: Fábio Borges


A pesquisadora Bianca Rangel e a equipe do projeto Tubarões e Raias de Noronha iniciaram na Ilha um novo estudo; desta vez com filhotes de tubarão-limão. A intenção da pesquisa é descobrir mais sobre o comportamento e a saúde desses animais no seu primeiro ano de vida; além de registrar as reações deles à presença humana. 


Até o dia 05 de fevereiro a equipe está principalmente nas praias do Porto e Sueste, berçários de tubarões, fazendo registros em foto e vídeo, além da captura de alguns filhotes para marcação e coleta de sangue. Os filhotes são marcados na nadadeira dorsal com um tipo de lacre plástico nas cores vermelho ou amarelo, com numeração específica para cada um. A captura dos filhotes é feita com puçá, uma pequena rede aberta em um aro com um cabo. Depois de estarem com o animal, os pesquisadores fazem a medição e coleta de sangue ali mesmo para  então devolvê-los ao mar.


Bianca Rangel explica a importância da pesquisa: “Os resultados desse estudo nas áreas que são berçários poderão servir para a gestão do espaço tanto em relação à conservação quanto a melhorias no convívio desses animais com banhistas”.


Educação Ambiental

A presença dos pesquisadores do projeto nas praias da Ilha, em atividades como o monitoramento feito por drones na Baía do Sueste, promove a sensibilização ambiental dos visitantes, que buscam mais informações sobre a ecologia do local, e auxiliam o ICMBio na tomada de decisões nas áreas de visitação. 


Além de drones o novo estudo vai usar câmera 360º subaquática. O material também servirá para publicações de educação ambiental através do instagram @tubaroes.raias.noronha.  Enquanto o trabalho é feito, Juliana Luz, uma das biólogas que integram o projeto, estará na praia conversando com interessados em entender melhor a pesquisa. O projeto também preparou um banner que explica tanto a pesquisa quanto o ciclo de vida dos tubarões. 


Ainda há outra forma de se informar e tirar dúvidas sobre o projeto e os animais pesquisados: assistir à palestra semanal no auditório do projeto Tamar, toda quarta-feira, às 19:30h.


Ciência Cidadã

As colaborações de não-cientistas são cada vez mais usadas pelos pesquisadores como um importante recurso na obtenção de um maior volume de dados, além de motivar os participantes a buscarem mais informações sobre a biodiversidade marinha e sua importância. Os banhistas que frequentam o Porto ou que vão até o Sueste para observar os filhotes na beira da praia poderão ajudar o projeto fotografando ou filmando os animais marcados e enviando via Instagram com informação do local onde foram vistos. 


Em Noronha o Projeto Tubarões e Raias tem se destacado no quesito ciência cidadã - a maior parte da equipe é formada por condutores de visitantes, cinegrafistas e fotógrafos. Além disso o projeto tem oferecido capacitações gratuitas aos operadores de turismo da Ilha para que difundam informações corretas, dicas de segurança e desmistificando mitos e preconceitos em relação à vida marinha e sobretudo os tubarões. 


Outro projeto voltado diretamente à participação dos moradores da Ilha é a Onda Iloc – Observadores da Natureza para o Desenvolvimento Ambiental nas Ilhas Oceânicas, que reforça o leque de cursos e capacitações oferecidas aos condutores, além de levar conhecimento a turistas e moradores através de momentos de bate-papo em pontos de maior movimentação.  








Comments


Fernando de Noronha - Noticias Imagem - Site Noronha
bottom of page