Conselho de Turismo se preocupa com o descontrole da vinda de turistas para a ilha

 

 

No dia 7 de dezembro de 2017 foi realizada a última reunião ordinária do Conselho de Turismo de Fernando de Noronha (CONTUR-FN) que tratou sobre a capacidade suporte de pessoas na ilha. O tema foi levado ao Conselho pelo ICMBio devido a constatação da falta de controle da entrada de visitantes em Noronha nos últimos anos.

   

Durante o encontro o Instituto fez uma detalhada apresentação de todos os problemas que vêm sendo identificado em decorrência do aumento no número de visitantes. As maiores queixas estão relacionadas a saneamento básico, geração de energia, resíduos sólidos, estruturas portuária, aeroportuária e de visitação.

“Por se tratar de uma ilha oceânica são necessários estudos que tragam informações e dados sobre a quantidade de pessoas que conseguem viver no local, morando ou visitando, sem que a qualidade ambiental e social seja afetada significativamente. É isso que chamamos de capacidade suporte”, explica Felipe Mendonça, chefe do ICMBio Noronha.

 

   

Os dados coletados pela Administração de Fernando de Noronha entre os anos de 2001 e 2013 mostram que o número de visitantes na ilha ficou em torno de 60 mil, ao ano. No entanto a partir de 2014 foi constatado um crescimento significativo, fechando o ano de 2016 com mais de 90 mil visitantes. Ou seja, um crescimento de 50% em três anos .

   

“Em momento algum na história de Noronha houve um crescimento tão expressivo do número de visitantes em tão pouco tempo. E, como podemos observar, as estruturas urbanas na ilha não cresceram na mesma velocidade”, ressalta Ricardo Araújo, analista do ICMBio.  

 

 Na ocasião foi apresentada também a Instrução Normativa (IN) da Administração de Fernando de Noronha n°. 02/2007 que trata de limite diário de entrada de visitantes na ilha. A norma estabelece que na média diária por ano só possam entrar na ilha 246 turistas por dia. Se multiplicarmos o número pelos dias do ano, chegamos ao teto de 89.790 visitantes por ano em Noronha. Essa norma foi acolhida no plano de manejo da APA de Fernando de Noronha.

 

A expectativa agora é que em 2017 o número de visitante bata novo recorde chegando a aproximadamente 95 mil turistas. Os dados apresentados causaram muita preocupação em todos os presentes na plenária que foi composta por empresários do ramo turístico, condutores, Governo Distrital, CPRH e ICMBio. Todavia o que ficou claro no encontro foi que, apesar do crescimento de visitantes, isso não vem representando ganhos econômicos para os empresários.

 

 Ao final do encontro todos entenderam a urgência em se fazer cumprir a legislação em vigor. Para isso, foi deliberado em plenária, a formação de uma Câmara Técnica que terá como objetivo de contribui com a implementação da IN n°02/2017 e o Plano de Manejo da APA (onde trata do assunto) ainda no ano de 2018.

   

“A reunião foi bastante produtiva e todos entenderam os problemas que os moradores vêm enfrentando diariamente em Noronha. A plenária deixou muito clara a necessidade de estabelecer um limite para o número de turistas na ilha. Nós do ICMBio não somos contra o turista. Ao contrário, queremos que as pessoas conheçam esse território tão singular. Mas para que as próximas gerações também tenham essa oportunidade precisamos ter cuidado e reconhecer todos os limites do arquipélago”, finaliza Mendonça. 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Please reload